15.11.08

_em uma sala de aula qualquer

Ele estava bem alí sentado, olhando a professora riscando a lousa. A classe estava em silêncio, todos prestavam atenção e anotavam as palavras rabiscadas. Ele ergue o braço e aguarda a atenção da professora.

- Pode falar, Pedro. O que quer?

- Professora, eu estou confuso.

- Diga-me. Qual o motivo de sua confusão?

- Não sei bem se deveria perguntar tal coisa.

- Então porque ergueu sua mão em primeiro lugar?

- Eu pensei em arriscar e... Talvez seja melhor calar-me.

- Não seja bobo, garoto. Do que tem medo?

- Posso até falar, mas temos que fazer um acordo.

- Que tipo de acordo, Pedro?

- A senhora não pode ficar nervosa em nenhum momento. Não pode gritar, nem...

- Porque não fala de uma vez, Pedro?

- Tá certo. Eu queria entender porque devemos nos sentar nos mesmos lugares todos os dias e não nos comunicarmos uns com os outros. Somos expostos a provas contendo tudo aquilo que você nos ensina, mas como podemos saber se o que ensina é a verdade e se a sua verdade está certa? A única fonte de conhecimento que nos é dada é uma professora que diz ter todo o conhecimento e seus livros. E mesmo que você fale a verdade, tudo que aprendemos é a competirmos uns contra os outros a todo momento. Seja na sala de aula ou nas quadras de educação física. Estamos sempre sendo forçados a nutrir ódio e rivalidade que a escola força goela abaixo, em nós. Não vejo como uma instituição como essa, que deveria ser o exemplo para todos os alunos e até para a sociedade, possa ensinar algo de verdade para nós. Somos criados com informações manipuladas por um conselho de professores, coordenadores e reitores. Talvez tudo isso não passe de um erro.

Todos boquiabertos com as palavras dele. As veias da professora saltam e pulsam, seu rosto vermelho e a respiração ofegante.

- Cale-se, Pedro. Sente-se no seu lugar e faça um favor para toda a sala... Fique calado! Está bem?

Ele se assusta e nada pode fazer, apenas obedecer. Ele se senta. A aula continua.

- Bom, agora que a sala está em silêncio... Vamos continuar com a aula sobre as revoluções através da história. Certo classe?

Muitos Pedros nasceram, foram matriculados, tiraram seus diplomas e morreram como homens comuns e desconhecidos. Todos estudaram com professores que respondiam com perguntas e sempre aumentavam suas duvidas. Assim como eu e você.

2 comentários:

Nathália disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Igor disse...

Diria mais acho que o autor do texto passa-se por professora tbm, pois os leitores sao direcionados a uma interpretacao...